Simulado OAB


 Exame: OAB EXAME XXIII -
 Data da prova: 07-2017 -
 Questão na prova: 22 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Limitações ao Poder de Tributar
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Fácil
1O reitor de uma faculdade privada sem fins lucrativos (cujas receitas, inclusive seus eventuais superávits, são integralmente reinvestidas no estabelecimento de ensino) deseja saber se está correta a cobrança de impostos efetuada pelo fisco, que negou a pretendida imunidade tributária, sob o argumento de que a instituição de ensino privada auferia lucros. Na hipótese, sobre a atuação do fisco, assinale a afirmativa correta.
O fisco agiu corretamente, pois a imunidade tributária apenas alcança instituições de ensino que não sejam superavitárias.
O fisco agiu corretamente, pois a imunidade tributária apenas alcança instituições públicas de ensino.
O fisco não agiu corretamente, pois não há impedimento à distribuição de lucro pelo estabelecimento de ensino imune.
O fisco não agiu corretamente, pois, para que seja concedida tal imunidade, a instituição não precisa ser deficitária, desde que o superávit seja revertido para suas finalidades.
 Exame: OAB EXAME XXX -
 Data da prova: 10-2019 -
 Questão na prova: 24 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Limitações ao Poder de Tributar
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
2No final do ano de 2018, o Município X foi gravemente afetado por fortes chuvas que causaram grandes estragos na localidade. Em razão disso, a Assembleia Legislativa do Estado Y, em que está localizado o Município X, aprovou lei estadual ordinária concedendo moratória quanto ao pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) do ano subsequente, em favor de todos os contribuintes desse imposto situados no Município X. Diante desse cenário, assinale a afirmativa correta.
Lei ordinária não é espécie normativa adequada para concessão de moratória.
 Lei estadual pode conceder moratória de IPTU, em situação de calamidade pública ou de guerra externa ou sua iminência.
Lei estadual não pode, em nenhuma hipótese, conceder moratória de IPTU.
A referida moratória somente poderia ser concedida mediante despacho da autoridade administrativa em caráter individual.
 Exame: OAB EXAME XVIII -
 Data da prova: 11-2015 -
 Questão na prova: 26 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Limitações ao Poder de Tributar
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
3Antônio, prestador de serviço de manutenção e reparo de instrumentos musicais, sujeito à incidência do Imposto Sobre Serviços (ISS), deixou de recolher o tributo incidente sobre fato gerador consumado em janeiro de 2013 (quando a alíquota do ISS era de 5% sobre o total auferido pelos serviços prestados e a multa pelo inadimplemento do tributo era de 25% sobre o ISS devido e não recolhido). Em 30 de agosto de 2013, o Município credor aprovou lei que: (a) reduziu para 2% a alíquota do ISS sobre a atividade de manutenção e reparo de instrumentos musicais; e (b) reduziu a multa pelo inadimplemento do imposto incidente nessa mesma atividade, que passou a ser de 10% sobre o ISS devido e não recolhido. Em fevereiro de 2014, o Município X promoveu o lançamento do imposto, exigindo do contribuinte o montante de R$ 25.000,00 – sendo R$ 20.000,00 de imposto (5% sobre R$ 400.000,00, valor dos serviços prestados) e R$ 5.000,00 a título de multa pela falta de pagamento (25% do imposto devido). Sobre a hipótese apresentada, assinale a afirmativa correta.
O lançamento está correto em relação ao imposto e à multa.
O lançamento está incorreto tanto em relação ao imposto (que deveria observar a nova alíquota de 2%) quanto em relação à multa (que deveria ser de 10% sobre o ISS devido e não recolhido).
O lançamento está correto em relação à multa, mas incorreto em relação ao imposto (que deveria observar a nova alíquota de 2%).
O lançamento está correto em relação ao imposto, mas incorreto em relação à multa (que deveria ser de 10% sobre o ISS devido e não recolhido).
 Exame: OAB EXAME XXI -
 Data da prova: 11-2016 -
 Questão na prova: 26 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Limitações ao Poder de Tributar
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
4Determinado Estado da Federação publicou, em julho de 2015, a Lei nº 123/2015, que majorou o valor das multas e das alíquotas de ICMS. Em fevereiro de 2016, em procedimento de fiscalização, aquele Estado constatou que determinado contribuinte, em operações realizadas em outubro de 2014, não recolheu o ICMS devido. Por conta disso, foi efetuado o lançamento tributário contra o contribuinte, exigindo-lhe o ICMS não pago e a multa decorrente do inadimplemento. O lançamento em questão só estará correto se
as multas e alíquotas forem as previstas na Lei nº 123/2015.
as alíquotas forem as previstas na Lei nº 123/2015 e as multas forem aquelas previstas na lei vigente ao tempo do fato gerador.
as multas e as alíquotas forem as previstas na lei vigente ao tempo do fato gerador.
as multas forem as previstas na Lei nº 123/2015 e as alíquotas forem aquelas previstas na lei vigente ao tempo do fato gerador
 Exame: OAB EXAME XXII -
 Data da prova: 04-2017 -
 Questão na prova: 26 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Limitações ao Poder de Tributar
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
5O Município X instituiu taxa a ser cobrada, exclusivamente, sobre o serviço público de coleta, remoção e tratamento de lixo e resíduos provenientes de imóveis. A igreja ABC, com sede no Município X, foi notificada da cobrança da referida taxa. Sobre a hipótese apresentada, assinale a afirmativa correta.
As Igrejas são imunes; portanto, não devem pagar a taxa instituída pelo Município X.
A taxa é inconstitucional, pois não é específica e divisível.
A taxa é inconstitucional, uma vez que os Municípios não são competentes para a instituição de taxas de serviço público.
A taxa é constitucional e as Igrejas não são imunes.
 Exame: OAB EXAME XXXI -
 Data da prova: 02-2020 -
 Questão na prova: 24 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Limitações ao Poder de Tributar
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
6Maria dos Santos, querendo constituir hipoteca sobre imóvel de sua propriedade em garantia de empréstimo bancário a ser por ela contraído, vai a um tabelionato para lavrar a escritura pública da referida garantia real. Ali, é informada que o Município Z, onde se situa o bem, cobra o Imposto de Transmissão de Bens Imóveis (ITBI) sobre a constituição de direitos reais de garantia. Diante desse cenário, assinale a afirmativa correta.
É possível tal cobrança, pois a constituição de direito real de garantia sobre bens imóveis, por ato inter vivos, é uma das hipóteses de incidência do ITBI.
O contribuinte do ITBI, nesse caso, não seria Maria dos Santos, mas sim a instituição bancária em favor de quem a garantia real será constituída.
O tabelião atua como responsável por substituição tributária, recolhendo, no lugar do contribuinte, o ITBI devido em favor do Município Z nessa constituição de direitos reais de garantia.
Não é possível exigir ITBI sobre direitos reais de garantia sobre imóveis.
 Exame: OAB EXAME XXIX -
 Data da prova: 06-2019 -
 Questão na prova: 23 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Limitações ao Poder de Tributar
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Difícil
7O Município X, na tentativa de fazer com que os cofres municipais pudessem receber determinado tributo com mais celeridade, publicou, em maio de 2017, uma lei que alterava a data de recolhimento daquela exação. A lei dispunha que os efeitos das suas determinações seriam imediatos. Nesse sentido, assinale a afirmativa correta.
Segundo a Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro (LINDB), a lei é válida, mas apenas poderia entrar em vigor 45 (quarenta e cinco) dias após a sua publicação.
A lei é inconstitucional, uma vez que não respeitou o princípio da anterioridade.
A lei é constitucional, uma vez que, nessa hipótese, não se sujeita ao princípio da anterioridade.
A lei é válida, mas só poderia vigorar 90 (noventa) dias após a sua publicação.
 Exame: OAB EXAME XIV -
 Data da prova: 08-2014 -
 Questão na prova: 26 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Limitações ao Poder de Tributar
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
8Empresa X, constituída em 1980, entrou com ação na Justiça Federal impugnando a cobrança da Contribuição Sobre o Lucro - CSLL, alegando que, apesar de prevista no Art. 195, I, c, da Constituição Federal, trata-se de um tributo que tem o lucro como fato gerador. Dessa forma, haveria um bis in idem em relação ao Imposto Sobre a Renda das Pessoas Jurídicas (Art. 153, III da CRFB), o que é vedado pelo próprio texto constitucional. A partir do caso narrado e considerando a jurisprudência dominante do Supremo Tribunal Federal, assinale a afirmativa correta.
A empresa tem razão porque os dois tributos têm o lucro como fato gerador, o que é vedado pela Constituição Federal.
A empresa, por ter sido constituída anteriormente à Constituição Federal de 1988, tem direito adquirido a não pagar a CSLL.
A empresa não tem razão, porque ambos os tributos estão previstos na CRFB.
A empresa tem razão, pela clara violação à vedação ao confisco prevista no Art. 150, IV, da CRFB.
 Exame: OAB EXAME XXXII -
 Data da prova: 06-2021 -
 Questão na prova: 25 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Limitações ao Poder de Tributar
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
9Decretado estado de calamidade pública financeira, o Presidente da República edita Medida Provisória (MP), instituindo, temporariamente, imposto extraordinário, incidente sobre os serviços de qualquer natureza, a ser suprimido, gradativamente, no prazo máximo de 5 (cinco) anos. Em seu último parágrafo, a MP prevê que entra em vigor e passa a gerar efeitos a partir da sua publicação, o que se dá em 20/12/2019. Assinale a opção que apresenta o vício da referida Medida Provisória, tal como editada.
À Lei Complementar, e não a uma MP, cabe instituir impostos extraordinários.
A instituição de impostos extraordinários só é permitida na iminência ou no caso de guerra externa.
À União é vedado cobrar tributos no mesmo exercício financeiro em que haja sido publicada a lei que os instituiu ou aumentou.
A referida MP viola a competência constitucional privativa dos Municípios para instituir impostos sobre serviços de qualquer natureza.
 Exame: OAB EXAME XIV -
 Data da prova: 08-2014 -
 Questão na prova: 25 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Limitações ao Poder de Tributar
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Difícil
10Visando a proteger a indústria de tecnologia da informação, o governo federal baixou medida, mediante decreto, em que majora de 15% para 20% a alíquota do Imposto sobre a Importação de Produtos Estrangeiros para monitores de vídeo procedentes do exterior, limites esses que foram previstos em lei. A respeito da modificação de alíquota do Imposto de Importação, assinale a afirmativa correta.
Deve observar a reserva de lei complementar.
Deve ser promovida por lei ordinária.
Deve observar o princípio da irretroatividade.
Deve observar o princípio da anterioridade.
 Exame: OAB EXAME XXXIII -
 Data da prova: 10-2021 -
 Questão na prova: 25 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Limitações ao Poder de Tributar
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
11Em 10/11/2020, foi publicada lei ordinária federal que majorava a alíquota de contribuição previdenciária a ser cobrada do empregador, incidente sobre a folha de salários e demais rendimentos do trabalho pagos ou creditados, a qualquer título, à pessoa física que lhe preste serviço, mesmo sem vínculo empregatício. Diante desse cenário, a nova alíquota poderá ser aplicada
a partir da data da publicação da lei.
noventa dias a contar da data da publicação da lei.
a partir do primeiro dia do exercício financeiro seguinte.
a partir de noventa dias contados do primeiro dia do exercício financeiro seguinte.
 Exame: OAB EXAME XXVIII -
 Data da prova: 03-2019 -
 Questão na prova: 24 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Limitações ao Poder de Tributar
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Fácil
12A União, por meio de lei ordinária, instituiu nova contribuição social (nova fonte de custeio) para financiamento da seguridade social. Para tanto, adotou, além da não cumulatividade, fato gerador e base de cálculo distintos dos discriminados na Constituição da República. A referida lei foi publicada em 1º de outubro de 2018, com entrada em vigor em 1º de fevereiro de 2019, determinando, como data de vencimento da contribuição, o dia 1º de março de 2019. A pessoa jurídica XYZ não realizou o pagamento, razão pela qual, em 10 de março de 2019, foi aconselhada, por seu(sua) advogado(a), a propor uma ação Declaratória de Inexistência de Relação Jurídica, em face da União. Assinale a opção que indica o fundamento que poderá ser alegado para contestar a nova contribuição.
Ela somente poderia ser instituída por meio de Lei Complementar.
Ela violou o princípio da anterioridade anual.
Ela violou o princípio da anterioridade nonagesimal.
Ela somente poderia ser instituída por Emenda Constitucional.
 Exame: OAB EXAME XXX -
 Data da prova: 10-2019 -
 Questão na prova: 26 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Limitações ao Poder de Tributar
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
13A sociedade empresária ABC Ltda. foi autuada pelo Fisco do Estado Z apenas pelo descumprimento de uma determinada obrigação tributária acessória, referente à fiscalização do ICMS prevista em lei estadual (mas sem deixar de recolher o tributo devido). Inconformada, realiza a impugnação administrativa por meio do auto de infração. Antes que sobreviesse a decisão administrativa da impugnação, outra lei estadual extingue a previsão da obrigação acessória que havia sido descumprida. Diante desse cenário, assinale a afirmativa correta.
A lei estadual não é instrumento normativo hábil para extinguir a previsão dessa obrigação tributária acessória referente ao ICMS, em virtude do caráter nacional desse tributo.
O julgamento administrativo, nesse caso, deverá levar em consideração apenas a legislação tributária vigente na época do fato gerador.
Não é possível a extinção dos efeitos da infração a essa obrigação tributária acessória após a lavratura do respectivo auto de infração.
A superveniência da extinção da previsão dessa obrigação acessória, desde que não tenha havido fraude, nem ausência de pagamento de tributo, constitui hipótese de aplicação da legislação tributária a ato pretérito.
 Exame: OAB EXAME XXXIV -
 Data da prova: 02-2022 -
 Questão na prova: 22 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Limitações ao Poder de Tributar
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
14O Município X, desejando fomentar os pequenos negócios de tinturaria e lavanderia na cidade (item 14.10 da lista anexa à Lei Complementar 116/2003), editou, em 2018, Lei Ordinária que fixou a alíquota do Imposto sobre Serviços (ISS) em 1,5% sobre o preço desses serviços. Diante desse cenário, assinale a afirmativa correta.
A referida alíquota de ISS não poderia ser fixada por lei ordinária, mas sim por lei complementar municipal.
A referida alíquota de ISS foi fixada sobre base de cálculo equivocada, pois não deveria incidir sobre o preço do serviço.
A referida alíquota de ISS não viola a alíquota mínima geral de ISS estabelecida em lei complementar federal, pois os serviços de tinturaria e lavanderia constituem uma das hipóteses de exceção à regra geral de alíquota mínima.
A referida alíquota de ISS viola a alíquota mínima geral de ISS estabelecida em lei complementar federal.
 Exame: OAB EXAME XIII -
 Data da prova: 04-2014 -
 Questão na prova: 27 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Limitações ao Poder de Tributar
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
15José recebeu auto de infração pelo inadimplemento de determinado tributo instituído por lei ordinária. José contesta a exigência fiscal sob o argumento, correto, de que o tributo em questão deveria ter sido instituído por lei complementar. A partir da hipótese apresentada, assinale a opção que indica o tributo exigido no referido auto de infração.
Contribuição de Interesse de Categoria Profissional.
Contribuição de Melhoria.
Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico.
Empréstimo Compulsório.
0h 0m 0s
Curso de Síndico Profissional