Simulado OAB


 Exame: OAB EXAME XXIX -
 Data da prova: 06-2019 -
 Questão na prova: 24 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
1A União lavrou auto de infração para a cobrança de créditos de Imposto sobre a Renda, devidos pela pessoa jurídica PJ. A cobrança foi baseada no exame, considerado indispensável por parte da autoridade administrativa, de documentos, livros e registros de instituições financeiras, incluindo os referentes a contas de depósitos e aplicações financeiras de titularidade da pessoa jurídica PJ, após a regular instauração de processo administrativo. Não houve, neste caso, qualquer autorização do Poder Judiciário. Sobre a possibilidade do exame de documentos, livros e registros de instituições financeiras pelos agentes fiscais tributários, assinale a afirmativa correta.
Não é possível, em vista da ausência de previsão legal.
É expressamente prevista em lei, sendo indispensável a existência de processo administrativo instaurado.
É expressamente prevista em lei, sendo, no entanto, dispensável a existência de processo administrativo instaurado.
É prevista em lei, mas deve ser autorizada pelo Poder Judiciário, conforme exigido por lei.
 Exame: OAB EXAME XXVII -
 Data da prova: 11-2018 -
 Questão na prova: 26 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Difícil
2A pessoa jurídica Sigma teve lavrado contra si um auto de infração. A autuação fiscal lhe impôs multa pela falta de exibição de notas fiscais durante um determinado período. Após ser citada em sede de execução fiscal, a pessoa jurídica Sigma alegou, em embargos à execução, que não apresentou as notas fiscais porque elas haviam sido furtadas por seu antigo gerente geral, que, com elas, praticara ilícito criminal, tendo sido, por isso, condenado na esfera penal por sonegação fiscal e furto daquelas notas. Com base nessa narrativa, no que tange ao pagamento da multa tributária, assinale a afirmativa correta.
A responsabilidade é pessoal do antigo gerente por ter cometido infração conceituada na lei como crime.
A empresa deve arcar com o pagamento da multa, sendo possível, posteriormente, uma ação de regresso em face do antigo gerente geral.
O antigo gerente não pode ser responsabilizado na esfera cível/tributária, por já ter sido condenado na esfera penal.
O caso é de responsabilidade solidária, por ter a empresa nomeado o antigo gerente para cargo de tamanha confiança.
 Exame: OAB EXAME XXIII -
 Data da prova: 07-2017 -
 Questão na prova: 26 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
3O Estado E publicou a Lei nº 123, instituindo anistia relativa às infrações cometidas em determinada região de seu território, em função de condições a ela peculiares. Diante desse fato, o contribuinte C apresentou requerimento para a concessão da anistia, comprovando o preenchimento das condições e o cumprimento dos requisitos previstos em lei. Efetivada a anistia por despacho da autoridade administrativa, verificou-se o descumprimento, por parte do contribuinte, das condições estabelecidas em lei, gerando a revogação da anistia de ofício. Diante da situação apresentada, assinale a afirmativa correta.
A anistia instituída pela Lei nº 123 é inviável, pois a anistia deve abranger todo o território da entidade tributante.
Não é possível a revogação da anistia, pois o preenchimento das condições e o cumprimento dos requisitos previstos em lei, por parte do contribuinte, geram direito adquirido.
A anistia instituída pela Lei nº 123 é inviável, pois a anistia somente pode ser concedida em caráter geral.
É possível a revogação da anistia, pois o despacho da autoridade administrativa efetivando a anistia não gera direito adquirido.
 Exame: OAB EXAME XXV -
 Data da prova: 04-2018 -
 Questão na prova: 26 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Fácil
4A pessoa jurídica XXX é devedora de Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), além de multa de ofício e de juros moratórios (taxa Selic), relativamente ao exercício de 2014. O referido crédito tributário foi devidamente constituído por meio de lançamento de ofício, e sua exigibilidade se encontra suspensa por força de recurso administrativo. No ano de 2015, a pessoa jurídica XXX foi incorporada pela pessoa jurídica ZZZ. Sobre a responsabilidade tributária da pessoa jurídica ZZZ, no tocante ao crédito tributário constituído contra XXX, assinale a afirmativa correta.
A incorporadora ZZZ é responsável apenas pelo pagamento da CSLL e dos juros moratórios (taxa Selic).
A incorporadora ZZZ é integralmente responsável tanto pelo pagamento da CSLL quanto pelo pagamento da multa e dos juros moratórios.
A incorporadora ZZZ é responsável apenas pelo tributo, uma vez que, em razão da suspensão da exigibilidade, não é responsável pelo pagamento das multas e dos demais acréscimos legais.
A incorporadora ZZZ é responsável apenas pela CSLL e pela multa, não sendo responsável pelo pagamento dos juros moratórios
 Exame: OAB EXAME XXIX -
 Data da prova: 06-2019 -
 Questão na prova: 22 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
5A Fazenda Pública apurou que fato gerador, ocorrido em 12/10/2007, referente a um imposto sujeito a lançamento por declaração, não havia sido comunicado pelo contribuinte ao Fisco. Por isso, efetuou o lançamento de ofício do tributo em 05/11/2012, tendo sido o contribuinte notificado desse lançamento em 09/11/2012, para pagamento em 30 dias. Não sendo a dívida paga, nem tendo o contribuinte impugnado o lançamento, a Fazenda Pública inscreveu, em 05/10/2017, o débito em dívida ativa, tendo ajuizado a ação de execução fiscal em 08/01/2018. Diante desse cenário, assinale a afirmativa correta.
A cobrança é indevida, pois o crédito tributário foi extinto pelo decurso do prazo decadencial.
A cobrança é indevida, pois já teria se consumado o prazo prescricional para propor a ação de execução fiscal.
A cobrança é devida, pois a inscrição em dívida ativa do crédito tributário, em 05/10/2017, suspendeu, por 180 dias, a contagem do prazo prescricional para propositura da ação de execução fiscal.
A cobrança é devida, pois não transcorreram mais de 10 anos entre a ocorrência do fato gerador (12/10/2007) e a inscrição em dívida ativa do crédito tributário (05/10/2017).
 Exame: OAB EXAME XV -
 Data da prova: 11-2014 -
 Questão na prova: 25 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Fácil
6O Fisco do estado "X" lavrou auto de infração contra a pessoa jurídica "Y" para cobrar ICMS sobre a remessa de mercadorias entre a matriz e a filial dessa empresa, ambas localizadas no referido estado. A empresa "Y" impetrou, então, mandado de segurança objetivando ver reconhecido seu direito líquido e certo ao não recolhimento do ICMS naquela operação. Pleiteou também medida liminar. Assinale a opção que pode, validamente, ser objeto do pedido de liminar formulado pela pessoa jurídica Y.
Extinção do crédito tributário.
Exclusão de crédito tributário.
Constituição do crédito tributário.
Suspensão da exigibilidade do crédito tributário.
 Exame: OAB EXAME XXXV -
 Data da prova: 07-2022 -
 Questão na prova: 24 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
7A empresa pública estadual XYZ S.A., com imunidade tributária que a desonera do pagamento de Imposto sobre a Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) reconhecida desde o ano de 2020 por decisão do Supremo Tribunal Federal transitada em julgado, deixou de cumprir diversas obrigações acessórias relativas ao IRPJ referente ao ano-base de 2021. Em decorrência disso, foi autuada e recebeu multa pelo descumprimento de obrigações tributárias acessórias. A empresa procura você, como advogado(a), indagando sobre a validade da exigência desta penalidade pecuniária, uma vez que sua imunidade já foi reconhecida. Diante desse cenário, sobre a autuação fiscal e a respectiva cobrança de multa, assinale a afirmativa correta.
São inválidas e ilegais, por inexistir a obrigação tributária principal, e aplica-se a regra de que a obrigação acessória segue a obrigação principal.
São válidas e legais, porque o descumprimento da obrigação acessória, mesmo por empresa imune, converte-se em obrigação principal relativamente à penalidade pecuniária.
Só poderiam ser exigidas caso a imunidade tributária daquela empresa não fosse reconhecida ou revogada.
São inválidas e ilegais, porque a imunidade tributária veda, também, a exigência de cumprimento de obrigações acessórias
 Exame: OAB EXAME XXXIII -
 Data da prova: 10-2021 -
 Questão na prova: 26 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
8Panificadora Pães Fofos Ltda., tendo como sócio-administrador José, alienou seu fundo de comércio à Panificadora Flor de Lisboa Ltda., deixando de atuar comercialmente. Contudo, 9 meses após a alienação do fundo de comércio, a Panificadora Pães Fofos Ltda. alugou um novo ponto comercial e retornou às atividades de panificação. Diante desse cenário, assinale a afirmativa correta.
A Panificadora Flor de Lisboa Ltda. responde, integralmente, pelos tributos relativos ao fundo adquirido, devidos até à data do ato de aquisição.
Ambas as panificadoras respondem, solidariamente, pelos tributos relativos ao fundo adquirido, devidos até à data do ato de aquisição.
A Panificadora Pães Fofos Ltda. responde, subsidiariamente, pelos tributos relativos ao fundo adquirido, devidos até à data do ato de aquisição.
A Panificadora Pães Fofos Ltda. e José, seu sócio-administrador, respondem, subsidiariamente, pelos tributos relativos ao fundo adquirido, devidos até à data do ato de aquisição.
 Exame: OAB EXAME XXIV -
 Data da prova: 11-2017 -
 Questão na prova: 23 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Fácil
9Considere que Luís é um andarilho civilmente capaz que não elegeu nenhum lugar como seu domicílio tributário, não tem domicílio civil, nem residência fixa, e não desempenha habitualmente atividades em endereço certo. A partir da hipótese apresentada, de acordo com o Código Tributário Nacional e no silêncio de legislação específica, assinale a afirmativa correta.
Luís nunca terá domicílio tributário.
O domicílio tributário de Luís será o lugar da situação de seus bens ou da ocorrência do fato gerador.
O domicílio tributário de Luís será, necessariamente, a sede da entidade tributante.
O domicílio tributário de Luís será a residência de seus parentes mais próximos ou o lugar da situação dos bens de Luís.
 Exame: OAB EXAME XXIII -
 Data da prova: 07-2017 -
 Questão na prova: 25 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Fácil
10A pessoa jurídica XYZ, prestadora de serviços contábeis, é devedora de Imposto sobre a Renda Pessoa Jurídica (IRPJ), além de multa moratória e punitiva, dos anos-calendário de 2014 e 2015. No ano de 2016, a pessoa jurídica XYZ foi incorporada pela pessoa jurídica ABC, também prestadora de serviços contábeis. Sobre a responsabilidade tributária da pessoa jurídica ABC, assinale a afirmativa correta.
Ela é responsável apenas pelo IRPJ devido, não sendo responsável pelo pagamento das multas moratória e punitiva.
Ela é responsável integral, tanto pelo pagamento do IRPJ devido quanto pelas multas moratória e punitiva.
Ela não é responsável pelo pagamento do IRPJ e das multas moratória e punitiva, uma vez que não praticou o fato gerador do tributo.
Ela é responsável apenas pelo IRPJ e pela multa moratória, não sendo responsável pelo pagamento da multa punitiva.
 Exame: OAB EXAME XXXIII -
 Data da prova: 10-2021 -
 Questão na prova: 22 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
11Um carregamento de computadores foi abandonado no porto pelo importador, que não chegou a realizar o desembaraço aduaneiro dentro do prazo previsto na legislação tributária. Por isso, a autoridade tributária, após o devido processo legal, aplicou a pena de perdimento e realizou leilão para alienação dos computadores. Diante dessa situação, a base de cálculo do imposto sobre a importação incidente na hipótese será o valor
de mercado dos bens.
da arrematação.
arbitrado pela autoridade tributária.
estimado dos bens, deduzindo-se os custos com armazenagem e as comissões do leiloeiro público.
 Exame: OAB EXAME XXV -
 Data da prova: 04-2018 -
 Questão na prova: 22 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Fácil
12João, no final de janeiro de 2016, foi citado em execução fiscal, proposta no início do mesmo mês, para pagamento de valores do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) referente aos anos de 2009 e 2010. Sabe-se que o IPTU em referência aos dois exercícios foi lançado e notificado ao sujeito passivo, respectivamente, em janeiro de 2009 e em janeiro de 2010. Após a ciência dos lançamentos, João não tomou qualquer providência em relação aos débitos. O município não adotou qualquer medida judicial entre a notificação dos lançamentos ao sujeito passivo e o ajuizamento da execução fiscal. Com base na hipótese apresentada, assinale a opção que indica o argumento apto a afastar a exigência fiscal.
O crédito tributário está extinto em virtude de decadência.
O crédito tributário está extinto em virtude de parcelamento.
A exigibilidade do crédito tributário está suspensa em virtude de compensação.
O crédito tributário está extinto em virtude de prescrição.
 Exame: OAB EXAME XVII -
 Data da prova: 07-2015 -
 Questão na prova: 28 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Fácil
13Em 17/07/2014, o Tribunal de Justiça do Estado X da Federação instituiu, por meio de Provimento da Corregedoria Geral da Justiça, as custas judiciais e os emolumentos cartorários vigentes a partir da data da publicação. Sobre a hipótese, assinale a afirmativa correta.
As custas judiciais e os emolumentos cartorários têm natureza jurídica de preço público e, portanto, não estão sujeitos às limitações constitucionais ao poder de tributar.
As custas judiciais e os emolumentos cartorários têm natureza jurídica de taxa de serviço. Sendo assim, o provimento da Corregedoria Geral viola os princípios da legalidade, da anterioridade de exercício e nonagesimal.
As custas judiciais e os emolumentos cartorários têm natureza jurídica de contribuição social. Sendo assim, o provimento da Corregedoria Geral viola os princípios da legalidade, da anterioridade de exercício e nonagesimal.
As custas judiciais e os emolumentos cartorários têm natureza jurídica de taxa de poder de polícia. Sendo assim, o provimento da Corregedoria Geral viola os princípios da legalidade e da anterioridade de exercício.
 Exame: OAB EXAME XIX -
 Data da prova: 04-2016 -
 Questão na prova: 27 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
14A falência da sociedade XYZ Ltda. foi decretada em 5/6/2014. Nessa data, a pessoa jurídica já possuía dois imóveis hipotecados para garantia de dívidas diversas. A União tem créditos tributários a receber da sociedade, inscritos em dívida ativa em abril de 2013. Baseado nos fatos narrados, assinale a afirmativa correta.
A União tem direito de preferência sobre todo e qualquer credor, porque o crédito tributário foi inscrito em dívida ativa antes da decretação da falência.
A União tem direito de preferência sobre os credores com garantia real, pois o crédito tributário prefere a qualquer outro, seja qual for sua natureza ou o tempo de sua constituição.
A União tem de respeitar a preferência dos credores hipotecários, no limite do valor dos bens gravados.
A União tem de respeitar a preferência dos credores hipotecários, no limite do valor das dívidas garantidas pelas hipotecas.
 Exame: OAB EXAME XIII -
 Data da prova: 04-2014 -
 Questão na prova: 26 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
15Determinado Estado, localizado na Região Norte do país, instituiu, mediante lei específica, a contribuição para o custeio do serviço de iluminação pública. Nessa linha, com base na competência tributária prevista nas normas constitucionais em vigor, tal contribuição instituída pelo respectivo estado- membro da Federação é
constitucional, sendo possível sua cobrança com base nas regras constitucionais em vigor.
inconstitucional, por ser o referido tributo de competência tributária da União Federal.
inconstitucional, por ser o referido tributo de competência do Distrito Federal e dos Municípios.
inconstitucional, visto que somente lei complementar poderá instituir o referido tributo.
 Exame: OAB EXAME XXVIII -
 Data da prova: 03-2019 -
 Questão na prova: 25 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Fácil
16Pedro tem três anos de idade e é proprietário de um apartamento. Em janeiro deste ano, o Fisco notificou Pedro para o pagamento do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), por meio do envio do carnê de cobrança ao seu endereço. Os pais de Pedro, recebendo a correspondência, decidiram não pagar o tributo, mesmo possuindo recursos suficientes para tanto. Diante da impossibilidade de cumprimento da obrigação por Pedro, assinale a afirmativa correta.
Os pais de Pedro devem pagar o tributo, na qualidade de substitutos tributários.
O Fisco deverá aguardar Pedro completar 18 anos para iniciar o processo de execução da dívida.
Os pais de Pedro responderão pelo pagamento do tributo, uma vez que são responsáveis tributários na condição de terceiros.
O Fisco deve cobrar o tributo dos pais de Pedro, já que são contribuintes do IPTU.
 Exame: OAB EXAME XXXIV -
 Data da prova: 02-2022 -
 Questão na prova: 25 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
17Pequenos produtores rurais do interior do Estado Alfa vendem sua produção de leite para uma indústria de laticínios localizada no Município Beta, no mesmo Estado. Por determinação em lei do Estado Alfa, fica atribuída a tal indústria a responsabilidade tributária pelo pagamento do ICMS vinculado ao fato gerador da etapa de circulação da mercadoria dos pequenos produtores rurais para a indústria (excluindo-se a responsabilidade dos contribuintes produtores rurais). Diante desse cenário, assinale a afirmativa correta.
A indústria é substituta tributária no âmbito de uma substituição tributária regressiva (substituição “para trás”).
A indústria é substituta tributária no âmbito de uma substituição tributária progressiva (substituição “para frente”).
A indústria realiza um fato gerador presumido.
A indústria realiza um fato gerador fictício.
 Exame: OAB EXAME XXVI -
 Data da prova: 08-2018 -
 Questão na prova: 23 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
18Em março de 2016, o Município X publicou lei instituindo novos critérios de apuração e ampliando os poderes de investigação das autoridades administrativas. Com base nessa nova orientação, em outubro do mesmo ano, o fisco municipal verificou a ausência de declaração e recolhimento de valores do Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza - ISSQN devidos pela pessoa jurídica Y, referentes ao ano-calendário 2014; diante dessa constatação, lavrou auto de infração para cobrança dos valores inadimplidos. No que tange à possibilidade de aplicação da nova legislação ao presente caso, assinale a afirmativa correta.
É inaplicável, pois não respeitou o princípio da anterioridade anual.
É inaplicável, pois o fisco somente poderia lavrar o auto de infração com base nos critérios de apuração previstos em lei vigente no momento da ocorrência do fato gerador.
É aplicável, pois a legislação que institui novos critérios de apuração e amplia poderes de investigação das autoridades administrativas aplica-se aos lançamentos referentes a fatos geradores ocorridos antes de sua vigência.
É aplicável, pois foi observado o princípio da anterioridade nonagesimal.
 Exame: OAB EXAME XXXV -
 Data da prova: 07-2022 -
 Questão na prova: 23 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Fácil
19A empresa pública estadual XYZ S.A., com imunidade tributária que a desonera do pagamento de Imposto sobre a Renda de Pessoa Jurídica (IRPJ) reconhecida desde o ano de 2020 por decisão do Supremo Tribunal Federal transitada em julgado, deixou de cumprir diversas obrigações acessórias relativas ao IRPJ referente ao ano-base de 2021. Em decorrência disso, foi autuada e recebeu multa pelo descumprimento de obrigações tributárias acessórias. A empresa procura você, como advogado(a), indagando sobre a validade da exigência desta penalidade pecuniária, uma vez que sua imunidade já foi reconhecida. Diante desse cenário, sobre a autuação fiscal e a respectiva cobrança de multa, assinale a afirmativa correta.
São inválidas e ilegais, por inexistir a obrigação tributária principal, e aplica-se a regra de que a obrigação acessória segue a obrigação principal.
São válidas e legais, porque o descumprimento da obrigação acessória, mesmo por empresa imune, converte-se em obrigação principal relativamente à penalidade pecuniária.
Só poderiam ser exigidas caso a imunidade tributária daquela empresa não fosse reconhecida ou revogada.
São inválidas e ilegais, porque a imunidade tributária veda, também, a exigência de cumprimento de obrigações acessórias.
 Exame: OAB EXAME XXVI -
 Data da prova: 08-2018 -
 Questão na prova: 22 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Fácil
20João, empresário, inconformado com a notificação de que a Administração Pública Fazendária teria acesso às informações de sua movimentação bancária para instruir processo administrativo fiscal, decidiu procurar o Escritório Alfa de advocacia para uma consulta a respeito do caso. João busca saber se a medida configura quebra de sigilo fiscal e se o procedimento da Administração Pública está correto. Com base na hipótese apresentada, assinale a opção que indica a orientação a ser dada pelo Escritório Alfa, considerando a jurisprudência do Supremo Tribunal Federal (STF) acerca do acesso a dados bancários sigilosos pela Administração Pública Fazendária.
Não se trata de quebra de sigilo, mas de transferência de sigilo para finalidades de natureza eminentemente fiscal, pois a legislação aplicável garante a preservação da confidencialidade dos dados, vedado seu repasse a terceiros estranhos ao próprio Estado, sob pena de responsabilização dos agentes que eventualmente pratiquem essa infração.
A imediata notificação do contribuinte é mera liberalidade da Administração Fazendária, sendo ao contribuinte facultada, tão somente, a extração da decisão final da Administração Fazendária.
Tal uso de dados ofende o direito ao sigilo bancário, porque macula o princípio da igualdade e o princípio da capacidade contributiva.
É inconstitucional a quebra de sigilo, pois a legislação aplicável garante a preservação da confidencialidade dos dados, vedado seu repasse a terceiros, inclusive aos integrantes da Administração Pública Fazendária.
 Exame: OAB EXAME XVI -
 Data da prova: 03-2015 -
 Questão na prova: 27 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
21Uma obrigação tributária referente ao Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) teve seu fato gerador ocorrido em 1º de junho de 2012. O débito foi objeto de lançamento em 21 de janeiro de 2014. A inscrição em dívida ativa ocorreu em 02 de junho de 2014. A execução fiscal foi ajuizada em 21 de outubro de 2014 e, em 02 de março de 2015, o juiz proferiu despacho citatório nos autos da execução fiscal. Considerando que o contribuinte devedor alienou todos os seus bens sem reservar montante suficiente para o pagamento do tributo devido, assinale a opção que indica o marco temporal, segundo o CTN, caracterizador da fraude à execução fiscal, em termos de data de alienação.
21 de janeiro de 2014
02 de junho de 2014
02 de março de 2015
21 de outubro de 2014
 Exame: OAB EXAME XXXV -
 Data da prova: 07-2022 -
 Questão na prova: 26 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
22A sociedade empresária ABC Ltda. foi criada em janeiro de 2020 e estabelecida no município Alfa. É especializada em recauchutagem de pneus, atividade na qual o cliente entrega os pneus do seu automóvel ao estabelecimento para que esses passem por um complexo processo de recuperação da borracha e de sua forma (raspagem, colagem, vulcanização etc.), transformando o pneu velho e desgastado em um pneu novo para uso do respectivo cliente em seu automóvel. Antes de iniciar suas atividades, ainda na fase de regularização fiscal, você é chamado(a) para emitir parecer sobre qual imposto incidirá naquela operação. Diante desse cenário, incidirá
o Imposto sobre Serviços (ISS), uma vez que a atividade da sociedade empresária é realizada por encomenda do proprietário do automóvel, dono dos pneus.
o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), uma vez que, na operação descrita, os pneus são considerados mercadorias.
o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), uma vez que, na operação descrita, há um processo de industrialização na recauchutagem dos pneus, na espécie transformação.
o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), uma vez que, nessa operação, os pneus são considerados mercadorias, acrescido do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), uma vez que há um processo de industrialização na operação.
 Exame: OAB EXAME XXIII -
 Data da prova: 07-2017 -
 Questão na prova: 23 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
23A massa falida X possui (i) débitos tributários vencidos de Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços - ICMS; (ii) débitos decorrentes da legislação do trabalho, no valor de 30 salários mínimos; (iii) débitos com os sócios da massa falida X; e (iv) remuneração devida ao administrador da massa. Em tal quadro, assinale a afirmativa correta.
O débito de natureza tributária será pago em primeiro lugar.
O débito de natureza tributária será pago em segundo lugar.
O débito de natureza tributária será pago em terceiro lugar.
O débito de natureza tributária será pago em quarto lugar.
 Exame: OAB EXAME XXIV -
 Data da prova: 11-2017 -
 Questão na prova: 22 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
24João e Maria celebraram entre si contrato de locação, sendo João o locador e proprietário do imóvel. No contrato, eles estipularam que a responsabilidade pelo pagamento do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) do imóvel será de Maria, locatária. Com base nessas informações, assinale a afirmativa correta.
O contrato será ineficaz entre as partes, pois transferiu a obrigação de pagar o imposto para pessoa não prevista em lei.
O contrato firmado entre particulares não poderá se opor ao fisco municipal, no que tange à alteração do sujeito passivo do tributo.
O contrato é válido e eficaz, e, por consequência dele, a responsabilidade pelo pagamento do tributo se tornará solidária, podendo o fisco municipal cobrá-lo de João e/ou de Maria.
No caso de o fisco municipal cobrar o tributo de João, ele não poderá ajuizar ação regressiva em face de Maria.
 Exame: OAB EXAME XXXII -
 Data da prova: 06-2021 -
 Questão na prova: 22 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Fácil
25A sociedade empresária Quitutes da Vó Ltda. teve sua falência decretada, tendo dívidas de obrigação tributária principal relativas a tributos e multas, dívida de R$ 300.000,00 decorrente de acidente de trabalho, bem como dívidas civis com garantia real. Diante desse cenário, assinale a afirmativa correta.
O crédito tributário de obrigação principal tem preferência sobre as dívidas civis com garantia real.
A dívida decorrente de acidente de trabalho tem preferência sobre o crédito tributário de obrigação principal.
O crédito tributário decorrente de multas tem preferência sobre a dívida de R$ 300.000,00 decorrente de acidente de trabalho.
O crédito relativo às multas tem preferência sobre o crédito tributário de obrigação principal.
 Exame: OAB EXAME XIII -
 Data da prova: 04-2014 -
 Questão na prova: 25 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Fácil
26Segundo o entendimento do STF, a taxa cobrada exclusivamente em razão dos serviços públicos de coleta, remoção e tratamento ou destinação de lixo ou resíduos provenientes de imóveis, é
constitucional, por não violar o conceito constitucional de taxa.
inconstitucional, por violar o conceito constitucional de taxa.
constitucional, por não violar o conceito constitucional de taxa, mas ilegal por violar a definição de taxa contida no Código Tributário Nacional.
inconstitucional, por violar o conceito constitucional de taxa, além de ilegal, por violar a definição de taxa contida no Código Tributário Nacional.
 Exame: OAB EXAME XXIV -
 Data da prova: 11-2017 -
 Questão na prova: 25 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Fácil
27O Município X, graças a uma lei municipal publicada no ano de 2014, concedeu isenção de IPTU aos proprietários de imóveis cujas áreas não ultrapassassem 70m². João possui um imóvel nessa condição e procura seus serviços, como advogado(a), para saber se deve pagar a taxa de coleta de resíduos sólidos urbanos, instituída pelo município por meio de lei publicada em junho de 2017, a ser exigida a partir do exercício financeiro seguinte. Diante desse quadro fático, assinale a afirmativa correta.
João não deve pagar a taxa de coleta, uma vez que a isenção do IPTU se aplica a qualquer outro tributo.
João não deve pagar a taxa de coleta, porque, sendo a lei instituidora da taxa posterior à lei que concedeu a isenção, por esta é abrangida, ficando João desobrigado do IPTU e da taxa.
João deve pagar a taxa de coleta, porque a isenção só é extensiva às contribuições de melhoria instituídas pelo município.
João deve pagar a taxa de coleta, porque, salvo disposição de lei em contrário, a isenção não é extensiva às taxas.
 Exame: OAB EXAME XXI -
 Data da prova: 11-2016 -
 Questão na prova: 28 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Fácil
28A Pessoa Jurídica ABC verificou que possuía débitos de Imposto sobre a Renda (“IRPJ”) e decidiu aderir ao parcelamento por necessitar de certidão de regularidade fiscal para participar de licitação. Após regular adesão ao parcelamento e diante da inexistência de quaisquer outros débitos, a contribuinte apresentou requerimento para emissão da certidão. Com base nessas informações, o Fisco deverá
deferir o pedido, já que o parcelamento é causa de extinção do crédito tributário.
(indeferir o pedido, pois a certidão somente poderá ser emitida após o pagamento integral do tributo em atraso.
deferir o pedido, já que o parcelamento é causa de suspensão da exigibilidade do crédito tributário.
deferir o pedido, já que o parcelamento é causa de exclusão do crédito tributário.
 Exame: OAB EXAME XVII -
 Data da prova: 07-2015 -
 Questão na prova: 27 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Fácil
29A pessoa jurídica X foi contemplada com isenção do Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana (IPTU) do imóvel utilizado para suas atividades comerciais. A referida isenção foi concedida pelo prazo de 5 (cinco) anos e sob a condição de que o imóvel seja utilizado para a produção de artesanato regional. Com base no caso apresentado, sobre a referida isenção assinale a opção correta.
Poderá ser suprimida por lei, a qualquer tempo, ainda que o contribuinte atenda à condição de utilizar o imóvel para a produção de artesanato regional.
Não poderá ser suprimida no prazo de 5 (cinco) anos, caso o contribuinte cumpra a condição de utilizar o imóvel para a produção de artesanato regional.
Não poderá ser suprimida no prazo de 5 (cinco) anos, ainda que o contribuinte utilize o imóvel para a realização de atividades comerciais diversas da produção de artesanato regional.
Poderá ser suprimida por decreto, a qualquer tempo, ainda que o contribuinte cumpra a condição de utilizar o imóvel para a produção de artesanato regional.
 Exame: OAB EXAME XVI -
 Data da prova: 03-2015 -
 Questão na prova: 25 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
30A União concedeu isenção, pelo prazo de cinco anos, da Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS) para as indústrias de veículos automotores terrestres que cumprissem determinadas condições. Sobre a isenção tributária, é possível afirmar que
as indústrias de aviação podem requerer a fruição do benefício, pois a norma que concede isenção deve ser interpretada extensivamente.
a União poderá, a qualquer tempo, revogar ou modificar a isenção concedida.
a isenção da COFINS pode ser concedida mediante decreto, desde que a norma seja específica.
as indústrias de veículos automotores terrestres não estão dispensadas do cumprimento das obrigações acessórias, pois elas são independentes da existência da obrigação principal.
 Exame: OAB EXAME XXVII -
 Data da prova: 11-2018 -
 Questão na prova: 24 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
31A sociedade empresária ABC, atuante na área de prestação de serviços de limpeza, em dificuldades financeiras, não estava conseguindo realizar o pagamento dos tributos federais. Diante disso, ela se ofereceu à Administração Pública Federal para realizar o pagamento dos tributos mediante prestação direta de serviços de limpeza em prédios públicos ou, alternativamente, transferir para o Fisco um imóvel de sua propriedade. A respeito desse cenário, assinale a afirmativa correta.
As propostas são inadmissíveis, pois os tributos somente podem ser pagos em dinheiro.
As propostas são admissíveis, em razão do princípio da menor onerosidade para o devedor (favor debitoris).
A proposta de transferência de imóvel do contribuinte para a Fazenda Pública Federal para pagamento de tributo é admissível por expressa permissão legal.
A proposta de prestação direta de serviços para pagamento de tributo é admissível, em circunstâncias excepcionais, como forma subsidiária de garantia do recebimento do crédito pela Fazenda Pública.
 Exame: OAB EXAME XXXI -
 Data da prova: 02-2020 -
 Questão na prova: 25 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Fácil
32Uma sociedade empresária em recuperação judicial requereu, perante a Secretaria Estadual de Fazenda do Estado X, o parcelamento de suas dívidas tributárias estaduais. O Estado X dispunha de uma lei geral de parcelamento tributário, mas não de uma lei específica para parcelamento de débitos tributários de devedor em recuperação judicial. Diante desse cenário, assinale a afirmativa correta.
O parcelamento não pode ser concedido caso inexista lei específica estadual que disponha sobre as condições de parcelamento dos créditos tributários do devedor em recuperação judicial.
O prazo de parcelamento a ser concedido ao devedor em recuperação judicial quanto a tais débitos para com o Estado X não pode ser inferior ao concedido por lei federal específica de parcelamento dos créditos tributários do devedor em recuperação judicial.
O parcelamento do crédito tributário exclui a incidência de juros, em regra, no caso de devedor em recuperação judicial.
O parcelamento do crédito tributário exclui a incidência de multas, em regra, no caso de devedor em recuperação judicial. 
 Exame: OAB EXAME XXXV -
 Data da prova: 07-2022 -
 Questão na prova: 25 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Difícil
33O Estado Alfa concedeu por lei ordinária, observadas as regras orçamentárias, isenção de IPVA para automóveis exclusivamente elétricos, fundamentando que a tributação possui uma importante função extrafiscal e objetivos ecológicos. José é proprietário de um automóvel registrado perante o DETRAN do Estado Alfa, movido a biogás, combustível considerado inovador e não poluente, produzido a partir de resíduos orgânicos como lixo, cana, biomassa etc. e refinado em biometano para abastecer carros. Desejando José obter para si o mesmo benefício fiscal dos carros elétricos, ele contrata você, como advogado(a), para fins de requerimento administrativo da isenção. Diante desse cenário, assinale a afirmativa correta.
É possível a concessão do benefício fiscal por analogia e interpretação extensiva aos automóveis movidos a combustível de biogás.
É possível a concessão do benefício fiscal, tendo em vista a função extrafiscal e o objetivo ecológico do combustível de biogás.
Não é possível a concessão do benefício fiscal aos automóveis movidos a biogás, pois deve ser interpretada literalmente a legislação que dispõe sobre a outorga de isenção.
Não é possível a concessão do benefício fiscal aos automóveis movidos a biogás, tendo em vista ser necessário comprovar os benefícios ecológicos por meio de perícia técnica, procedimento vedado na esfera administrativa.
 Exame: OAB EXAME XXXIV -
 Data da prova: 02-2022 -
 Questão na prova: 23 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Fácil
34Maria recebeu de seu tio, em 2019, a posse de um automóvel de alto valor para facilitar seu transporte até a faculdade. Em 2020, seu tio resolveu realizar, em favor de Maria, a doação do automóvel, sob condição suspensiva, por escritura pública. O evento previsto na condição era o de que Maria se formasse na faculdade até o fim do ano de 2021. Contudo, ela abandona a faculdade, escoando o ano de 2021 sem que se formasse. Diante desse cenário, à luz do CTN, o Imposto sobre a Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD)
é devido na data de efetiva transferência da posse do automóvel.
é devido na data de efetiva lavratura da escritura pública de doação.
não é devido, por se tratar de doação de bem móvel.
não é devido, pois a doação não se tornou perfeita e acabada em virtude da ausência do implemento do evento previsto na condição.
 Exame: OAB EXAME XXII -
 Data da prova: 04-2017 -
 Questão na prova: 25 -
 Ramo: Direito Tributário -
 Tema: Obrigação Tributária
 Organizadora: FGV
 Dificuldade: Relativamente Fácil
35João e Pedro são, por lei, contribuintes obrigados solidariamente a pagar determinado tributo. Foi publicada lei que isenta os ex-combatentes do pagamento de tal tributo, sendo este o caso pessoal somente de João. Tendo em vista essa situação, assinale a afirmativa correta.
Sendo um caso de isenção pessoal, a lei não exonera Pedro, que permanece obrigado a pagar o saldo remanescente, descontada a parcela isenta em favor de João.
Pedro ficará totalmente exonerado do pagamento, aproveitando-se da isenção em favor de João.
O imposto poderá ser cobrado de Pedro ou de João, pois a solidariedade afasta a isenção em favor deste.
Pedro permanece obrigado a pagar integralmente o imposto, nada obstante a isenção em favor de João.
0h 0m 0s
Curso de Síndico Profissional