Vade Mecum Brasil

Autor(a) - Ivan Horcaio

07-03-2020 10h15

Você é Eficiente ou Eficaz?

A melhor atitude que você pode tomar para tornar-se mais produtivo e alcançar resultados espetaculares é fazer menos coisas do que você faz atualmente, e não apenas fazer um pouco menos, mas sim eliminar totalmente a maioria das coisas que você faz com frequência.

Sim, é surpreendente ouvir isso, mas há um motivo para algo tão “chocante” assim, e motivo é a constatação pessoal e empírica de que a grande maioria das atividades que nós realizamos diariamente não contribui de forma significativa (ou não contribui absolutamente nada) para alcançarmos os nossos maiores sonhos.

Neste primeiro capítulo, a sugestão é que você entre no mundo da eliminação e descubra por que a grande maioria das atividades que você realiza diariamente não são importantes e devem ser eliminadas.

Você irá aprender a diferença essencial entre ser eficiente e ser eficaz e entender por que o que você faz é muito mais importante do que como você faz.

Tornar-se produtivo não é sobre fazer muitas coisas e estar ocupado o tempo todo.

O que é Eficiência e Eficácia?

Eficiência e eficácia são palavras semelhantes e, muitas vezes, consideradas sinônimos. No entanto, existem diferenças sutis na definição e utilização de ambos os termos.

- Eficiência: o ato de fazer certo as coisas;
- Eficácia: consiste em fazer as coisas certas.

Para exemplificar, a eficiência seria a classificação do comportamento de alguém que agiu com perfeição na realização de um determinado trabalho.

Exemplo: O mecânico consertou o carro com eficiência.

Já a eficácia abrange um plano mais amplo, não se limitando apenas no cumprimento de um trabalho, mas sim na resolução total de uma situação.

Na organização dos estudos, pois esse é nosso objetivo, para que os resultados eficientes sejam úteis é preciso o desempenho de ordens e tarefas eficazes.

A eficácia é saber o que fazer. Um estudo feito com eficiência, mas sem eficácia para a conclusão de determinado plano, passa a ser inútil, pois não agregará nada de substancial, por mais bem feito que tenha sido executado.

Um exemplo clássico que ajuda a visualizar a diferença entre a eficiência e a eficácia é a do homem que cava um poço com perfeição absoluta e, de forma frustrante, o poço não tem água, mesmo tendo realizado o trabalho com eficiência, em contraposição do homem que fez o poço, também de forma perfeita, num local correto, num local em que já se sabia que, por meio de conhecimento havia água, tendo executado um trabalho com eficácia.

Vamos trazer a questão à questão do estudo. Não basta estudar de forma eficiente, de forma a que se adquira o conhecimento de forma eficiente. É necessário ter certeza que esta se estudando o conteúdo correto, para o concurso ou exame cujo organizador seja conhecido, cujo conteúdo programático seja conhecido, cujas últimas exigências sejam conhecidas, etc.

Resumindo, você tem que encarar o desafio não somente com eficiência, mas com eficácia.

Vivam a vida, e até breve.

Atenção: o conteúdo desta publicação, bem como as ideias apresentadas, não representam necessariamente a opinião desta coluna, sendo de inteira responsabilidade de seu autor.


Generic placeholder image
Ivan Horcaio

Advogado. Autor de várias obras jurídica, notadamente de dicionários jurídicos, e também nas áreas de concursos públicos e Exame de Ordem. Foi editor chefe de conhecida editora jurídica, tento trabalhado na elaboração, edição e publicação de dezenas obras, sendo o organizador do vade mecum dessa editora por seis anos. Diretor de conteúdo do site Vade Mecum Brasil.




Uma Notícia Perturbadora

Mens Sana in Corpore Sano

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA


^
subir