Vade
Mecum
Brasil

SEU CONHECIMENTO
COMEÇA AQUI

Autor(a) - Kaue Fernando

14-06-2021 18h01

Direito Imobiliário e a Caracterização de Incidência do IPTU

Sempre que entramos em um novo ano, muitas pessoas se lembram sobre os compromissos financeiros que este novo ano nos traz, e na área imobiliária o mais citado com certeza é o IPTU (Imposto Sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana), o Código Tributário Nacional atribui a competência em legislação e aplicação deste tributo aos municípios, tendo como fato gerador da obrigação deste pagamento ao município a propriedade, domínio útil ou posse de um determinado imóvel.

Porém, o próprio Código Tributário Nacional, nos apresenta algumas responsabilidades do município sobre tal imóvel, para que este esteja apto a se tornar um fato gerador que incida tal responsabilidade pecuniário do contribuinte perante o município onde encontra-se o imóvel.

O primeiro ponto necessário para que o IPTU incida sobre uma propriedade é que tal imóvel esteja em área determinada como urbana, tal determinação deve ser feito por Lei municipal transformando áreas rurais em áreas urbanas, tal diretriz está instituída na PL 6870/06.

Agora vem um ponto muito interessante e que muitos contribuintes não conhecem, é necessário que alguns requisitos sejam cumpridos pelo município para que tal tributo tenha validade, não há a necessidade de que todos estejam presentes, mas, ao menos 2 deles devem existir, são eles:

 - Meio fio ou calçamento, com canalização de águas pluviais, sabemos que em diversos municípios não há projetos para atendimento a tal determinação, por se tratar de trabalhos honrosos, dispondo de uma fatia muito grande do orçamento anual, principalmente nas cidades com grande território, porém poucos moradores;

- Abastecimento de água, um item tão básico para o atendimento da dignidade humana infelizmente não alcança a todos os cidadãos brasileiros, também com maior incidência em cidades com grande extensão territorial e uma população diminuta;

- Sistema de esgoto sanitário, exigência esta que está em falta não somente em pequenas cidades, como também nas metrópoles, que com o crescimento desenfreado não consegue acompanhar a expansão populacional, tendo como característica a inexistência de saneamento básico aos novos bairros mais afastados;

- Rede de iluminação pública, problema que também acompanha as expansões territoriais ao qual muitas cidades passam, sendo um trabalho complexo e de alta onerosidade, acaba por não acompanhar o desenvolvimento imobiliário nas extremidades dos municípios;

- Escola primária ou posto de saúde a uma distância máxima de 3 quilômetros do imóvel onde incide o IPTU, dentro dos direitos fundamentais instituídos pela Constituição Federal de 1988, estão presentes a educação e saúde, desta forma o Código Tributário Nacional transmitiu de certa forma a competência no cumprimento desses quesitos em troca da possibilidade de captação de renda por parte dos possíveis usuários de tais garantias.

Vejam que todos os itens aqui citados almejam única e simplesmente a observância ao atendimento da dignidade da pessoa humana.

A inobservância de pelo menos dois desses quesitos de forma simultânea impossibilita a aplicação tributária sob a nomenclatura IPTU ao possível contribuinte.

E você, caro leitor, está sendo atendido com quanto desses quesitos atualmente em sua residência?

Será que o município realmente tem cumprido com sua parte ao cobrar o IPTU de seu imóvel?

Sinceramente espero que sim, pois se não há o cumprimento do mínimo necessário para a possibilidade desta cobrança provavelmente a condição de vida propiciada a você pode não atender ao mínimo necessário para o bom desenvolvimento urbano de sua cidade.

Com o mesmo proposito dos demais artigos que público, espero ter agregado um pouco de conhecimento a ponto de auxilia-los em seu dia a dia.

Atenção: o conteúdo desta publicação, bem como as ideias apresentadas, não representam necessariamente a opinião desta coluna, sendo de inteira responsabilidade de seu autor.

Generic placeholder image
Kaue Fernando

Advogado. Graduado em Direito pela faculdade São Paulo. Graduado em Gestão de Segurança Patrimonial. Pós Graduado Master in Business Administration (MBA) em Direito Imobiliário. Pós-Graduando em Direito Imobiliário e Transações e Negócios Contratuais. Com forte atuação no âmbito do Direito Imobiliário, Direito Civil e Processo Civil.
Email: kauefernandoadvogado@gmail.com
Linkedin: linkedin.com/in/kaue-fernando-0152a453
Facebook: Kaue Fernando Advogado




Pagar Menos Imposto é Cada Dia Mais Urgente

Lei 14.155/21 e as Graves Mudanças dos Hábitos Sociais com a Necessidade de Amparo Legal

COMPARTILHE ESTA NOTÍCIA

whatsapp twitter linkedin
^
subir